Em palestra na UnB, pesquisador norte-americano defende: “Descriminalizar as drogas seria o maior benefício”

Durante a Semana Universitária, o pesquisador Carl Hart, da Columbia University (EUA), apresentou resultados de experimentos com drogas e defendeu descriminalização das substâncias no Brasil. No evento, a Reitora da UnB, Márcia Abrahão, declarou que o professor veio para discutir  assunto seja debatido “sem tabus”.

Por Luísa Laval com colaboração de Naum Giló

Drugs are not the problem (tradução livre: Drogas não são o problema). Esse foi o título da apresentação de Carl Hart, professor de Psicologia e Psiquiatria na Universidade de Columbia. A palestra ocorreu na última terça (24), no Anfiteatro 9 do Campus Darcy Ribeiro. “As drogas não são tão perigosas quanto se pensa”, afirma o pesquisador e continua: “O vício não é culpa da droga, mas das predisposições individuais da pessoa”.

Hart foi o primeiro professor titular afro-americano da Universidade de Columbia. Em suas pesquisas, afirma que a maioria de consumidores de crack não se viciam e podem escolher não adquirir mais drogas. “75% a 90% dos usuários de drogas não se tornam viciados”, afirma o pesquisador.  

Para Hart, a descriminalização das drogas seria um passo importante na conscientização do povo brasileiro. “Nos Estados Unidos, os usuários de drogas são como eu: têm um emprego, são responsáveis, cuidam de sua família e pagam impostos”, afirma. O verdadeiro problema quanto às drogas seria não dar outras oportunidades para pessoas de baixa renda.

Essa foi a segunda visita do norte-americano a UnB. Ao final da apresentação, participantes do debate fizeram perguntas ao pesquisador, incluindo um bloco composto por mulheres. Confira a entrevista com Carl Hart:

Campus Online: Quais são suas impressões após essa palestra na UnB?

Carl Hart: Sinto-me feliz que nós fizemos isso e espero que as pessoas tenham assimilado algumas informações relevantes.

CO: Você já foi perseguido por conta de suas ideias? Como é a recepção de suas palestras em geral?

CH: A recepção tem sido bem positiva. Claro que eu sou criticado por conta das minhas idéias, porque elas desafiam o senso comum e pessoas que têm idéias burras.

CO: Você acha que a descriminalização de certas drogas reduziriam problemas sociais no Brasil?

CH: Descriminalizar as drogas impediria o governo de fazer todas aquelas coisas com a população negra e parda imediatamente. Esse seria o maior benefício.

CO: Que conselho você daria para os estudantes da UnB sobre o uso de drogas?

CH: A ler! O conselho que eu daria para esses estudantes é que leiam e saibam o que estão tomando e como fazê-lo. É preciso aprender antes de fazer alguma coisa

Márcia Abrahão: Debater para conscientizar

A Reitora Márcia Abrahão compareceu ao evento juntamente com o Vice-Reitor Enrique Huelva e outros membros dos decanatos. “É um tema tão importante para a UnB e para  juventude”, ela ressalta ao falar do papel de conscientização que a universidade deve exercer. “Debatemos francamente, sem tabus”, continua a Reitora.

Sobre a organização da Semana Universitária, comemorativa do aniversário de 55 anos da UnB, Márcia comenta que “Incluímos a integração social para poder mostrar que a universidade tem que estar aberta para a sociedade.” Sobre a área acadêmica, ela afirma que houve aumento no número de bolsas oferecidas para o Programa de Iniciação Científica e que este é um dos marcos da Semana Universitária.

Quando perguntada sobre os cortes orçamentários na universidade, a Reitora afirma que a Semana Universitária não foi afetada e reitera: “Nós temos mostrado para a comunidade como é possível utilizar os recursos de maneira mais racional e, obviamente, com muita dificuldade. Então tivemos que fazer algumas escolhas”.

Confira outros trechos da entrevista com Márcia Abrahão, Reitora da UnB:

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *