Termina nesta quinta-feira (1) a eleição para os delegados da UnB para o Congresso da UNE (Conune), que acontecerá entre os dias 15 e 18 de junho, em Belo Horizonte (MG). O Congresso discute as diretrizes da União Nacional dos Estudantes para os próximos dois anos, elegendo uma nova diretoria e também quem ocupará a presidência da entidade. Seis chapas concorrem no pleito.

A Universidade de Brasília tem direito a eleger 38 delegados para o congresso. Eles serão distribuídos proporcionalmente entre as chapas, de acordo com a proporção de votos que obtiverem. 

Conheça as chapas:

 

Chapa 1 - Libertas

Originada a partir dos movimentos “Movimento Reação Universitária” e “Distrito Liberal”, a Chapa Libertas tem como principal visão o fim do que chamam de aparelhamento da UNE e do movimento estudantil. “O que antes era uma entidade plural e tolerante, com frentes estudantis esquerdistas, liberais e conservadoras, hoje é uma entidade cujo debate se restringe aos extremos da esquerda (cinco chapas de nove forças na UnB)”, alegam em sua apresentação nas redes sociais (veja mais AQUI). 

Principais pontos defendidos: Diálogo com o “estudante médio” (não engajado no movimento estudantil), instauração da CPI da UNE para investigar as origens e destinos dos fundos da entidade, apoio à Operação Lava-Jato, valorização e fomentação de incubadoras e empresas Jr, etc. Confira as outras propostas no link no parágrafo acima.

 

Chapa 2 - UNE é pra lutar

Tendo como principal característica a defesa de uma greve geral e da antecipação das eleições, além de apoiar a candidatura do ex-presidente Lula, a Chapa 2 destaca questões de cunho nacional com posicionamento à esquerda. “A saída democrática é dar a palavra ao povo, em eleições antecipadas, para eleger Lula presidente para convocar uma Constituinte soberana e anular todas as contrarreformas e medidas entreguistas dos golpistas, abrindo caminho às reformas populares”.

Principais pontos defendidos: greve geral pela retirada da Reforma da Previdência, antecipação das eleições e realização de Constituinte. Também defendem a garantia de verbas para as universidades públicas, recomposição do orçamento do MEC e recriação do ministério da Ciência e Tecnologia, além da construção de creches para mães universitárias e ampliação do auxílio creche. Veja todas as propostas AQUI.

 

Chapa 3 - Lutar e mudar as coisas 

Engajada com as manifestações contra o presidente Michel Temer, a chapa 3 também defende a realização de eleições diretas. Defende maior participação do movimento estudantil nas questões nacionais. “É inaceitável deixar que um congresso conservador, sem qualquer credibilidade e a serviço do grande empresariado decida os rumos do nosso país através de eleições indiretas”.

Principais pontos defendidos: saída de Michel Temer e realização de eleições diretas, direcionamento de 10% do PIB para educação, direcionamento de 3 bilhões para o Plano Nacional de Assistência Estudantil, expansão das bolsas de permanência e ampliação de cotas raciais.

Nacionalmente, a chapa se identifica com a Oposição de Esquerda da UNE. Confira todas as propostas AQUI.

 

Chapa 4 - Que A UNE Se Pinte de Povo

Quer a presença da UNE nos movimentos de base das universidades, propondo o projeto UNE Volante, que seria uma caravana da entidade por todo o país. A chapa também cobra a realização do Conselho Nacional de Entidades de Base (Coneb), que não foi feito na última gestão da UNE. É mais uma chapa a defender a saída de Michel Temer e a realização de eleições diretas no país.

Nacionalmente, a chapa se identifica com o chamado Campo Popular da entidade. Saiba mais AQUI.

 

Chapa 5 - Primeiramente, Diretas Já

A chapa apoia a realização de eleições diretas e aponta medidas como a PEC 241/55, que limita os gastos públicos; reforma da previdência e reforma trabalhista como uma ameaça ao futuro dos jovens.  

Defendem que o presidente Michel Temer não tem legitimidade para continuar governando o país, assim como o Congresso Nacional para a realização de eleições indiretas já que “mais de 150 deputados e 24 senadores denunciados na Operação Lava Jato”.

“Vivemos momentos difíceis e nos posicionamos ao lado do povo, fugindo da falsa polarização que tem destruído nosso país. Eleições Diretas para presidente é o caminho para retomar a estabilidade política e econômica do Brasil.

É ligada à juventude do PSB. 

 

Chapa 6 - Eu Quero Votar Para Presidente

Reivindica fortemente os projetos educacionais dos governos Lula e Dilma, como o Reuni, as cotas e a destinação dos royalties do pré-sal para a educação. A chapa defende a aplicação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação, bem como cobra a implementação das demais metas estabelecidas pelo último Plano Nacional de Educação (PNE).

Assim como outras chapas, também pedem a saída de Michel Temer e pautam a realização de novas eleições diretas no Brasil. 

A chapa é identificada com o campo político majoritário da UNE há anos, formado por coletivos como a União da Juventude Socialista (UJS), ligada ao PCdoB, e alguns ligados à juventude do PT. Veja mais AQUI.

 

Veja os locais de votação e participe: